Relatos do Kratom: Heidi Burger

Relatos do Kratom: Heidi Burger

Clique aqui para ler a versão original em inglês

“Relatos do Kratom” é uma série de entrevistas do KratomScience.com com pessoas que usam kratom para ajudar a lidar com a dor, depressão, ansiedade ou dependência de drogas. Entre em contato conosco no Twitter @kratomscience ou pelo e-mail do Brian ([email protected]) se você gostaria de contar a sua história.

Heidi é uma professora, jardineira e espiritualista de Oklahoma. Eu, Brian, vivi em Oklahoma por alguns anos antes de começar aqui na Kratom Science, e consegui sair com a Heidi e seu marido Mike, que construíram uma estufa excelente em seu quintal, e faziam festas de Halloween muito loucas.

Kratom Science: quando e como você descobriu o kratom, e há quanto tempo consome?

Heidi Burger: Junho de 2018. 1 ano. Eu tenho ele como parte do meu plano nutricional diário Trindade (CBD, THC e kratom). Usando a minha Trindade consegui sair de cinco medicamentos prescritos (todos), sendo um necessário para estar viva. Já se passou mais de um ano. Estou muito feliz. Me sinto ótima e não tenho nenhum dos efeitos secundários negativos que eles relacionam à planta. É fantástico. Há muitas mentiras ligadas a ela, exatamente como a cannabis esteve ameaçada.

KS: Você pode desenvolver o conceito da Trindade diária? Está relacionado com a sua espiritualidade?

HB: A Trindade parece espiritual, mas inicialmente tem sido a mais eficaz para mim para funcionar a um nível físico e emocional saudável todos os dias. O lado espiritual começou com o THC. Não é só para fins medicinais, mas também para práticas espirituais profundas. Então eu diria que é espiritual agora que eu fiz essa conexão com o kratom. E ele não prejudicou nenhuma conexão espiritual que eu tenha experimentado.

KS: Qual é a diferença entre o que você sentia quando tomava medicamentos em comparação com o kratom/CBD/THC?

HB: Eu choro toda vez que penso sobre isso. Eu me sinto NORMAL. Eu me sinto menos ansiosa e preocupada. Eu me sinto mais em paz e pronta para enfrentar o dia. Uma das melhores coisas que eu experimentei foi como eu consegui me motivar e me manter focada em projetos e tarefas…. Especialmente no trabalho (eu fui diagnosticada com transtorno do déficit de atenção, TDA)! Eu me sinto como uma professora rockstar! Eu tinha energia e me sentia feliz em trabalhar! Uau! Também algumas variedade me ajudam a não comer em excesso e a frear o meu apetite. Algumas variedades me ajudam a dormir a noite toda com sono REPARADOR (tenho uma cama que monitora isso, então eu tenho provas!).

KS: Quais são as suas variedades preferidas? Quanto você toma em um dia comum? Qual é a sua forma preferida de preparar o kratom?

Green & Red Maeng Da, White Collision, Green Horn, Red Thai e outras que tomo ocasionalmente. Tomo de 2 a 6 g por dia, intervaladas. A minha maneira preferida é o método de colocar na boca e engolir a forma em pó.

KS: Você já teve algum problema ou efeito colateral com o kratom? Alguma vez ele se tornou severamente viciante ou um hábito ruim?

HB: No início, quando eu estava tentando descobrir a minha dosagem, eu vomitava, tinha náuseas ou suor quando tomava demais. Não, eu não senti nenhum efeito colateral e a minha dosagem não mudou ao longo do ano. Eu não senti nenhum efeito viciante. Eu posso ficar muito bem sem ele.

KS: Porque você acha que as pessoas têm medo do kratom? É a propaganda negativa na mídia que alimenta esse medo?

Não há muitas pessoas que eu conheço que acreditam nele, e eu tenho sido capaz de compartilhar isso só com uma pequena quantidade de pessoas. As pessoas são céticas ou assutadas demais. E de novo, quando eu sou uma prova viva e ambulante de como ele me faz bem, elas ainda não parecem ter interesse. E às vezes penso que é porque dependem demais dos médicos e do governo para encher a cabeça deles com mentiras de merda.

Acho que muitas pessoas têm medo de tentar algo que não passou por nenhum teste do governo. Além disso, elas não sabem o suficiente sobre isso, ou de pessoas suficientes experimentando. Normalmente é assim que as coisas se tornam populares.

KS: Mais alguma coisa que você queira acrescentar?

HB: Só que eu gostaria que mais pessoas soubessem sobre isso!

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta